© JUST IN CASE   |   Rua de Xabregas, 2 - sala 312, 1900-015 Lisboa     

Ponte na Suécia reabilitada com projecto para 50 apartamentos de luxo

Balestra.jpg

 

“Querem construir uma ponte nova. Há muita gente que não gosta de coisas velhas”, refere Filipe Balestra.

 

Apesar de não haver qualquer risco de a ponte cair, o arquitecto acredita que a estrutura precisa de manutenção. Por isso, em 2010, juntamente com a Urban Nouveau — empresa que gere com Sara Göransson —, assinou um projecto de reabilitação da ponte para contornar a demolição e apresentou-o ao município de Lidingö, que "adorou a proposta". No entanto, foi apenas em 2018 que apresentou uma proposta completa ao Governo sueco, desta vez com o engenheiro António Adão da Fonseca e a construtora sueca Serneke na equipa. 

 

A ideia que propõem é a construção de 50 apartamentos de luxo debaixo da Gamla Lidingöbron, cuja venda pagaria toda a intervenção efectuada. O arquitecto explica os números: “A manutenção total da ponte não vai custar mais de 50 milhões de euros. Uma ponte nova em betão custa pouco mais, cerca de 70 milhões. Os 50 apartamentos podem ser vendidos pelo mínimo de 85 milhões de euros, dos quais 50 seriam para a renovação da ponte e o resto para construir os apartamentos.” Feitas as contas, o lucro seria de cerca de sete milhões de euros, “o que não é muito, mas é suficiente para preservar a ponte”.

 

Além dos apartamentos, o projecto prevê a construção de um parque no topo da ponte, em vez do existente espaço para carros eléctricos, bicicletas e peões — estes passariam para a ponte vizinha, a cerca de 30 metros de distância, que seria reforçada para os poder receber. O resultado final seria uma “versão escandinava da High Line de Nova Iorque”.

TEXTO INTEGRAL DE MARIANA DURÃES

in Jornal Público, 26.NOV.2018